quinta-feira, 19 de junho de 2008

Ciclo

Tudo é um ciclo. E isso quer dizer tudo mesmo.
Podemos incluir nessa afirmação desde o ciclo do nitrogênio às mudanças na música e na moda.

No que se refere à moda isso fica muito claro: Chanel na década de 20 revolucionou com seu corte de cabelo andrógino para a época, seus cortes retos, capas, blazers, colares compridos. E nem preciso dizer mais sobre o que é moda de novo, né.

Agora .. quanto a vida, as coisas nem sempre ocorrem como ciclo.
Mas me veio a cabeça esse negócio de ciclo por causa do blog mesmo.
Naquela fase de novinha, onde a onda era gifs animadinhos, um monte de nicks cheios de símbolos e sem nenhuma simbologia (que agora rendem risadas), o blog era pra contar as "novidades" (pois todo mundo estava sempre junto), mostrar as fotos, tudo para se ter bastante audiência.

Pra mim, agora é só pra falar sobre qualquer coisa, que para a minha sorte (?) ninguém vai ler.

Uma coisa me impressiona bastante (fora a minha capacidade de arranjar conexão com assuntos totalmente diferentes): desde esse tempo, pode tudo ter mudado, pode tudo voltar a ser como antes, meus amigos são todos os mesmos.
(com exceção daqueles que eu fiz questão de brigar com, sempre por motivos que outras pessoas julgaram ridículos, mas que muito me incomodavam)



Mas isso me deixa feliz. Eles são os que eu quero carregar pra toda vida.
Eu quero eles comigo por todo o meu ciclo.




2 comentários:

Carrilho disse...

Falou e disse. Tudo mesmo é um ciclo.
Naqueles tempos, era tudo uma busca intrigante por atenção de todos que conhecíamos (bem ou não). Hoje tudo o que não fazemos questão em relação às nossas publicações digitadas, é uma atençaõ exagerada. Acho que é porque rola um pouco de insegurança que infelizmente insistimos em ter sobre o que os outros vão pensar sobre. Essa insegurança não rolava quando realmente deveria rolar (nas épocas de n3n4, lh e somos play). Pra sua sorte, eu leio o que é escrito aqui, ainda tem pouco, mas gosto do que leio. Essa conexão com vários assuntos, eu acho que tem um pouco a ver com experiência(mínima) que precisamos expressar, até porquê temos em mente os primeiros caítulos de conclusões por ela. Olha isso, a gente falando de experiência. Chega a ser ridículo. Mas. Pode tudo ter mudado, e pode tudo mudar a ser como antes, mas quero que estes estejam no meu ciclo todo [2].
Depois do verde claro viria de novo o verde escuro dos dots aleatórios que aderiram ao seu processo de ciclo(vicioso).

Carrilho disse...

"Eu e meus amigos" naquele do ciclo. hahah