quarta-feira, 25 de junho de 2008

O ódio tem melhor memória que o amor


(Honoré de Balzac)

Ódio, de acordo com Wikipédia, a enciclopédia livre:

O ódio é um sentimento de profunda antipatia, desgosto, aversão, raiva, rancor profundo, horror, inimizade ou repulsa contra uma pessoa ou algo, assim como o desejo de evitar, limitar ou destruir o seu objetivo.

O ódio pode se basear no medo a seu objetivo, já seja justificado ou não. O ódio é descrito com frequência como o contrário do amor, ou a amizade; outros, consideram a indiferença como o oposto do amor.

O ódio não é necessariamente irracional. É razoável odiar pessoas ou organizações que ameaçam ou fazem sofrer. O Ódio é mais profundo que a Raiva. Enquanto a Raiva seria predominantemente uma emoção, o Ódio seria, predominantemente, um sentimento. Paradoxalmente podemos dizer que o ódio é um afeto tão primitivo quanto o amor. Tanto quanto o amor, o ódio nasce de representações e desejos conscientes e inconscientes, os quais refletem mais ou menos o narcisismo fisiológico que nos faz pensar sermos muito especiais.



Meu ódio se resume à:
eu odeio que me acordem, eu odeio que depois que já me acordaram, queiram conversar comigo, odeio barulho de liquidificador, odeio cheiro de tempero enquanto eu ainda estou na cama.

eu odeio quando vou tomar banho e tem pouca água na caixa d'água e o aquecedor não liga (agruras de morar no último andar do prédio), odeio quando a rádio sai da estação e fica só chiando e eu tô no banho, odeio quando eu tô me vestindo no meu quarto e minha mãe fica batendo na porta porque quer entrar.

eu odeio os sermões do meu pai, eu odeio a voz estridente da minha mãe falando alto, eu odeio meus amigos me dizendo que eu sou velha, eu odeio quando eu não tô com vontade de sair e por isso eles gritam.

eu odeio quando deixo o carro morrer, eu odeio quando as pessoas cortam na minha frente e me fecham, eu odeio fazer baliza em carro sem direção hidráulica, eu odeio suar.

eu odeio fazer esportes, eu odeio quando o tênis desamarra, eu odeio computador lento, eu odeio conexão lenta, eu odeio sites fora do ar, eu odeio canais fora do ar.

eu odeio pessoas fedidas no metrô, eu odeio qualquer um dentro do metrô, eu odeio que fiquem me olhando. eu odeio pegar metrô em horário do rush, eu odeio ter que sair de casa certas vezes, mas odeio ainda mais ter que voltar pra casa.

eu odeio que leiam a revista que eu comprei antes de mim, eu odeio que leiam meus livros antes de mim, eu odeio emprestar livros pras pessoas que arreganham as páginas e fazem marcas na lombada, eu odeio dormir com o pé descoberto, eu odeio dormir com qualquer lençol/manta que seja fino e que balance com o vento, eu odeio ver as pessoas dormindo de pé de fora.

eu odeio chegar em casa cansada e ter muita coisa em cima da minha cama, eu odeio ter que arrumar a cama pra dormir, eu odeio celular me dando susto e vibrando quando tô pegando no sono, eu odeio (pouco) meu namorado me mandando mensagem as 8h da manhã dizendo que está tarde e me mandando acordar (só porque ele tem que acordar essa hora!). odeio que ponham a mão embaixo do meu braço, odeio lambida.

eu odeio dia de frio/chuva que eu tenho que sair, eu odeio não ter roupa de frio/chuva de sair, eu odeio ter que sair pra qualquer lugar que não seja praia/piscina quando tá muito sol,
eu odeio ter que desligar o ar condicionado em dias de muito calor, eu odeio ventilador ventando bem em cima de mim.

eu odeio retrucações, eu odeio que não retruquem, eu odeio objeções aos meus desejos.

eu odeio falta de dinheiro, eu odeio não encontrar o que eu quero no shopping, eu odeio não encontrar calças que me vistam bem, eu odeio quem usa calça que não veste bem e acha que tá abafando, eu odeio piriguetes, barangas e afins.

eu odeio dj/festa que só toca música ruim, eu odeio festa com pouca comida, eu odeio festa em que não sou bem servida, eu odeio lugares com banheiros horríveis.

eu odeio garçons lentos, odeio caixas mal-educadas de qualquer lugar, eu odeio pegadores de ingresso de cinema que se acham melhores do que todo mundo e são muito reclamões.

eu odeio quando me falam pra provar alguma coisa com uma cara muito feia, eu odeio prédios sem porteiro, eu odeio porteiros que demoram a interfonar/abrir portão e você tá na chuva, eu odeio quando você tá em alguma loja e a pessoa pergunta se você trabalha ali.

eu odeio quando não tem nenhum filme bom na locadora, eu odeio quando alugam filme que eu já vi, odeio quando não gostam do filme que eu escolhi.

eu odeio quando o telefone toca, eu não posso atender, corro, quando chego perto pára de tocar; eu odeio quando tocam a campainha e quando chego na porta não é ninguém.

odeio que me julguem sem me conhecer, odeio quem diz que me odeia e nem nunca falou comigo, odeio que achem que eu tenho cara de metida, que eu faço cara de nojo, odeio que me odeiem primeiro.

Provavelmente eu odeio mais um monte de coisa que não consigo me lembrar agora. Quem sabe depois eu não faça um segundo round ?!
Só sei que com tanto ódio no coração eu não posso ser muito normal.


"Meu ódio é o veneno que eu tomo, querendo que o outro morra."
(Ódio - Luxúria)


Um comentário:

Rafael Carrilho disse...

"eu odeio quando me falam pra provar alguma coisa com uma cara muito feia, eu odeio prédios sem porteiro,
odeio quando não gostam do filme que eu escolhi."

tamos aí né .!